Aguarde...

Benvindos Bidoeira

Turismo

Turismo

O nome da nossa freguesia é conhecido no país e no estrangeiro pela dinâmica das nossas colectividades: Associação Filarmónica Bidoeirense, Centro Cultural e Recreativo da Bidoeira de Cima, Grupo Desportivo e Recreativo Bidoeirense (GRDB), Centro de Convívio e Apoio Social Bidoeirense (CASBI), Rancho Folclórico as "Tecedeiras", Centro Cultural e Recreativo de Bidoeira de Baixo e Carriço, Associação Cultural da Texugueira, Agrupamento 1209 de Escuteiros, Associação de Pais e as Comissões de Igreja, Capelas e de Festas.
 
As festas do Menino Jesus (Janeiro) e em honra do Imaculado Coração de Maria (Agosto) em Bidoeira de Cima, Nª Sra. de Fátima (Agosto) em Bidoeira de Baixo e S. José e Nº Sra. da Boa Viagem (Julho) em Texugueira, são os eventos religiosos de maior relevância na freguesia. No entanto face à diversidade  de colectividades, é frequente a ocorrência de outros eventos ao longo do ano como sejam as comemorações dos Santos Populares, Saraus, Cantares de Janeiras e Tasquinhas.
 
Os parques de merendas da freguesia, Bidoeira e Texugueira, são os locais eleitos para a prática dos jogos populares, como a petanca, o chinquilho e os jogos de cartas. O ciclismo (BTT em particular), o karaté e os bailes são também muito populares na Freguesia.
 
A Igreja paroquial em honra do Imaculado Coração de Maria, substituiu a bela Igreja Velha do séc. XVI, ou início do XVII, demolida para dar lugar ao novo templo de arquitectura moderna. Para lembrar esse antigo património foi edificado um monumento evocativo da antiga capela, no  largo frontal à nova igreja. As Capelas de Bidoeira de Baixo e de Texugueira representam a arquitectura religiosa tradicional.
 
No local onde existiu a antiga capela foi construido um bonito espaço público, onde coexistem os espaços ajardinados, os monumentos evocativos da antiga capela e os bancos de jardim, numa harmonia que convida a usufruir a calma e beleza do local.
 
As fontes existentes em todos os lugares da freguesia bem como as “Alminhas”, pequenas construções religiosas de devoção popular, são património que urge preservar como memória legada pelos nossos antepassados.
 
Eventos anuais:
 
FEIRAS
 
Feira mensal nos dias 20 de cada mês e mercado semanal ao Domingo, no largo da Feira.
 
FESTAS E ROMARIAS
 
Festa do Menino Jesus (primeiro fim de semana de Janeiro) e as festas anuais em honra do Imaculado Coração de Maria (4º fim de semana de Agosto) em Bidoeira de Cima.
 
Em Bidoeira de Baixo realizam-se no 2º fim de semana de Agosto as festas anuais em honra de Nª Sra. de Fátima.
 
Já na Texugueira é em Julho (3º fim de semana) que a população desta localidade honra os seus padroeiros, S. José e Nª Sra. da Boa Viagem.
 
A Mata da Bidoeira e o Vale Coelho organizam também pequenas festas de cariz religioso que servem também de pretexto para passar uma boa tarde de convívio.
 
ANIMAÇÃO CULTURAL e DESPORTIVA
 
Na área da cultura e desporto é notória a capacidade de iniciativa, nomeadamente da Banda Filarmónica Bidoeirense (com uma escola de música a funcionar), do Rancho Folclórico "As Tecedeiras de Bidoeira" e do Grupo Desportivo e Recreativo Bidoeirense.
 
Gastronomia tradicional do concelho de Leiria
 
A gastronomia regional e tradicional ganha, a cada dia, mais importância como fator turístico, ou não tenha ele sido eleita Património Cultural de Portugal. 
 
A gastronomia tradicional do concelho de Leiria, tal como no resto do país, é marcada pela utilização dos produtos locais que, em subtis conjugações resultantes da criatividade popular, lhe conferem grande autenticidade e refinado sabor. 
 
No interior do concelho os pratos típicos desenvolvem-se a partir da horta e das suas verduras e hortaliças, bem acompanhadas pelas aves de criação e os animais do chiqueiro. 
 
Do fumeiro ganharam fama as morcelas de arroz dos Marrazes e os megritos e lentriscas assados na brasa. 
 
Mas, a chanfana da Chaínça, o leitão à moda da Boavista, a bacalhoada com migas de nabiça e broa, ou o bacalhau com chícharos à moda da Santa Catarina da Serra, complementam bem uns ossinhos ou uma fritada de peixinhos do Lis. 
 
Já na zona costeira, é o mar a fornecer a maior parte dos seus componentes mas, atendendo às suas limitações, as hortas e a criação caseira estão também presentes na confeção local. Surgem assim as magníficas sopas de marisco, os grelhados de peixe fresco e suculentas caldeiradas, mas o bacalhau continua sempre a marcar presença constante. 
 
Para terminar, remate com uma preciosidade da sua pastelaria: Brisas do Lis; Lampreia de Ovos; Ovos Folhados; Castanhas Queimadas; Canudos de Leiria; Doce de Amêndoa; Filhós de Abóbora ou uns Bolinhos de Pinhão.
 
Tudo bem regado por um precioso néctar do vale do Lis, com excelentes lotes de vinho nas Cortes, na Touria ou no Vidigal, integrados na Região Demarcada do Vinho das Encostas de Aire e por fim, exceda-se calmamente com um precioso licor de leite.
 
Não podemos deixar de destacar o "leitão à moda da Boa Vista", que até tem um festival próprio, onde os restaurantes da freguesia mostram e servem o leitão assado de forma artesanal, em forno a lenha, tal como se fazia há mais de 60 anos. Assado, aberto ou no espeto, o leitão resulta dourado e estaladiço, com um sabor único.
 
Esta iguaria, tão típica e tradicional, aguarda o seu processo de certificação, de modo a continuar a preservar todos os seus aspectos artesanais, desde os métodos de assamento, ao tipo de leitão usado.
 
Incorporar vídeo